BE-A-BÁ da pesquisa de marketing

Não sei qual sua experiência com pesquisa de marketing, mas, sem sombra de dúvida, em algum momento de sua vida profissional você já sondou seus clientes ou colaboradores sobre novos produtos e serviços ou, até mesmo, foi na concorrência dar aquela olhadinha. O maior mistério deste tipo de trabalho é fazê-lo corretamente e não de forma superficial ou que induza os respectivos resultados. E pensando nisto é que escrevemos este artigo para descomplicar tudo sobre esse assunto.

Conceito

No dicionário, a palavra pesquisa significa “ação ou efeito de pesquisar; busca; investigação”. E no marketing, esta ferramenta serve para auxiliar a tomada de decisões a partir da identificação ou solução de um problema.

Tipos de pesquisa

Como era de se esperar, atualmente, há possibilidade de elaboração de pesquisas sobre diversos assuntos, como: imagem e lembrança da marca, mercados potenciais, novos produtos ou serviços, concorrência, tendências, dentre outros.

Dados primários e secundários

Dados primários são aqueles coletados e produzidos durante uma pesquisa. Já os secundários são aqueles existentes dentro da empresa em arquivos físicos ou digitais, e em instituições como IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), IBOPE, DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), FEE (Fundação de Economia e Estatística), prefeituras, secretarias, universidades, associações, sindicatos, cooperativas, jornais, notícias de revistas e publicações especializadas, etc.

População-alvo

É a coleção de elementos ou objetos que possuem a informação buscadas pelo pesquisador. Por exemplo, numa pesquisa sobre cervejas especiais, esta população poderá ser delimitada por aspectos como localização (país, Estados e/ou cidades), tamanho (n° de habitantes do Estado, n° de cervejarias), faixa etária de consumo (de 18 em diante) e gênero (homens e/ou mulheres).

Censo e amostra

Utiliza-se censo quando será pesquisada 100% desta população, o que não é habitual às pequenas empresas, pois encare muito o trabalho. Já a amostra é um subgrupo da população.

Pesquisa qualitativa e quantitativa

A pesquisa qualitativa busca identificar motivações, crenças, atitudes e sentimentos sobre um determinado assunto. Neste formato, não há necessidade de muitos entrevistados de um mesmo grupo, normalmente 15 pessoas e, em termos de coleta de dados, utilizam-se questionários não-estruturados (sem perguntas exatas) ou semiestruturados (que servem só como orientação) que podem ser aplicados pessoalmente ou por telefone, nunca por e-mail. Para que não haja perda de dados, alguns pesquisadores gravam tais entrevistas.

Já a quantitativa, como o próprio nome diz, procura quantificar os dados e por isto são feitas com grande número de entrevistados. Utilizam-se questionários estruturados (com perguntas e respostas) e podem ser aplicadas pessoalmente, por telefone, e-mail ou software. No entanto, independentemente de quem aplicará (você, sua equipe ou empresa contratada), fique atento às questões com respostas mal formuladas, induzindo o preenchimento do entrevistado. Ou seja, o correto é utilizar opções balanceadas de 5 ou 3 pontos conforme segue abaixo.

5 pontos – com duas opções positivas, uma intermediária e duas negativas.

Ótimo Bom Regular Ruim Péssimo
Extremamente provável

 

Muito provável

 

Moderadamente provável

 

Pouco provável

 

Nada provável

 

3 pontos – com uma opção positiva, uma intermediária e uma negativa.

Bom Regular Ruim
Muito provável

 

Moderadamente provável

 

Pouco provável

 

Ficou interessado? Teste suas ideias com pesquisas. E se precisar de ajuda, estamos à disposição!

 

Recommended Posts