Benefícios do PDCA em tempos de instabilidade

O momento atual de incertezas e grandes turbulências parece estar direcionando algumas empresas a procurarem fazer mais coisas, muito mais do que o normal. Muitas vezes, isso leva as organizações a quererem fazer, até mesmo, qualquer coisa. Muitas dessas ações podem até ajudar, mas também podem não resolver nada.

Qualquer coisa, mesmo que com boa vontade nem sempre é a melhor alternativa. A lista de ações inoportunas que não geram resultados pode gerar um desgaste, perda de tempo e de recursos, causando mais frustração. Enquanto isso, as ações que poderiam trazer resultados não são nem mesmo pensadas, definidas e implementadas.

Mais importante é fazer a coisa certa. O momento atual é o de reforçar e destacar a importância da análise e solução de problemas, na busca por melhorias e na tomada de decisões.

Trata-se do “método PDCA”, sigla dos termos em inglês “plan”, “do”, “check” e “act”, que, traduzidos, significam “planejar”, “fazer”, “verificar” e “agir”.

O PDCA é uma das técnicas mais importantes para uma boa gestão. E para que se tenha bons resultados, antes do “P” (planejar), precisamos entender a situação atual e definir onde queremos chegar.

Embora esse método seja bastante conhecido para resolver problemas específicos e pontuais, como de qualidade, são poucas as empresas que conseguiram realmente utilizar, em todo o seu potencial, o PDCA como uma força solucionadora de problemas e como pensamento básico e cultural – um modo de pensar e agir – dentro da organização.

O objetivo do PDCA é utilizar um método científico para se entender bem onde a empresa está com relação aquele tema, identificar as causas raízes e propor contramedidas que deverão ser implementadas e acompanhadas. Se isso estiver funcionando é sinal de que entendemos bem a situação. Caso contrário, devemos reavaliar e seguir nesse processo.

Já a gestão tradicional começa com um entendimento superficial da situação, não faz análise e parte para as ações. Ou seja, para a letra “D” sem mesmo fazer um bom “P”. Assim, proliferam-se ações que pouco resolvem os problemas ou então não melhoram os resultados.

Portanto, cuidado com simplesmente querer fazer mais para enfrentar a crise. Pense em fazer melhor, com mais entendimento, análise e reflexão. Nesses tempos difíceis, há pouquíssima margem para se errar. Torne o PDCA parte da “cultura” da empresa para que todos, em todo momento, utilizem esse modo de pensar.

Recommended Posts